• Eterno Inconformado
  • Eterno Inconformado
  • 15 de out de 2015

    #143 XXI. Ubuntu [Texto U]

    Recentemente, conversando com minha diretora, ela me mostrou um vídeo que compartilharam com ela através do celular. Nesse vídeo é contado o relato de um homem que esteve em determinado lugar da África e lá propôs às crianças locais que participassem de uma brincadeira, uma corrida na verdade, onde quem chegasse primeiro em certo lugar levaria um prêmio. Para surpresa do homem que propusera a brincadeira, quando dado o grito de largada, as crianças deram as mãos e juntas correram rumo ao alvo a fim de juntas conseguirem o prêmio. Ele ainda relata no vídeo que as crianças diziam que não seria o suficiente uma delas ganhar o prêmio e ficar alegre enquanto todas as outras estariam tristes por não chegarem em primeiro lugar. A partir daí ele começa a discorrer a respeito de um termo africano que nos remete a essa filosofia coletiva. No vídeo, o narrador apresenta um termo pouco desconhecido, mas comum no cenário da informática (ao menos em outro sentido); ele estava falando do UBUNTU.

    pessoas isoladas

    Com informações da Wikipédia:

    Ubuntu é uma noção existente nas línguas zulu e xhosa - línguas bantu do grupo ngúni, faladas pelos povos da África Subsaariana. A palavra Ubuntu, não traduzível diretamente, exprime a consciência da relação entre o indivíduo e a comunidade. É diretamente traduzido como "humanidade com os outros" ou "sou o que sou pelo que nós somos".

    Segundo o arcebispo anglicano Desmond Tutu, autor de uma teologia ubuntu "a minha humanidade está inextricavelmente ligada à sua humanidade". Essa noção de fraternidade implica compaixão e abertura de espírito e se opõe ao narcisismo e ao individualismo. Segundo o Arcebispo Desmond Tutu:

    “Uma pessoa com Ubuntu está aberta e disponível para as outras, apoia as outras, não se sente ameaçada quando outras pessoas são capazes e boas, com base em uma autoconfiança que vem do conhecimento de que ele ou ela pertence a algo maior que é diminuído quando outras pessoas são humilhadas ou diminuídas, quando são torturadas ou oprimidas.”

    — Arcebispo Desmond Tutu no livro "No Future Without Forgiveness" (em português: "Sem Perdão Não Há Futuro")”

    A crítica específica desse texto é contra o nosso individualismo, em acreditar que sozinhos trabalhamos melhor, que o nosso único amigo de verdade é Deus e que não precisamos de ninguém na vida. Direta ou indiretamente somos seres sociais e para o que quer que seja sempre necessitaremos de um outro alguém para algo específico. Seja para ouvir, para falar, para aprender, para conversar, para reagir ou para mudar. Exemplos não faltam. As coisas ao nosso redor nos mostram que o cooperativismo com bons propósitos destrói o ego. Usar o nós é muito melhor que usar o eu. Como se sentir bem se outros estão mal? Como sorrir se outros choram? Querem nos acostumar com as más notícias como se tudo isso fosse normal. Viver apenas para si não é normal, nem nunca foi.

    unidade um único foco

    A união faz a força, juntos somos mais fortes. O cordão de três dobras não se quebra com facilidade. Quebremos nossa visão distorcida de que “quem me ajuda é Deus e o resto que se exploda”. Por que você se isola tanto se viajar sozinho não tem graça? Uma estrela a mais sempre fará o céu mais brilhante. Não há como amar a Deus se não amamos as pessoas ao nosso redor. O Evangelho é para as pessoas. Sem sociedade não há reino. O amor não é egoísta, não busca seus próprios interesses. Você pode ter a gasolina enquanto outros tem a caixa de fósforos. Jesus disse que casas divididas contra si mesmas não subsistem. Quanto mais nos isolamos, mais nos perdemos em nosso próprio achismo. Ame sem medo de se decepcionar. Você não é invulnerável. Olhemos para um único alvo: Cristo.

    Textos de A a Z

    Eu poderia me perguntar “... e o que tenho a ver com a maioria?”. Percebo que não devo olhar para a maior parte quando essa anda para o caminho do erro ou de ideias tolas, mas que devo pensar menos em mim quando ver eles errando pode me fazer um covarde se eu não voltar ao menos para avisá-los. Posso dar um passo inicial e plantar sementes, mas outros a regarão. Não depende apenas de você; apenas comece.


    “Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos. Se o pé disser: porque não sou mão, não sou do corpo; não será por isso do corpo? E se a orelha disser: porque não sou olho não sou do corpo; não será por isso do corpo? Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido, onde estaria o olfato? Mas agora Deus colocou os membros no corpo, cada um deles como quis. E, se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo? Assim, pois, há muitos membros, mas um corpo. E o olho não pode dizer à mão: não tenho necessidade de ti; nem ainda a cabeça aos pés: não tenho necessidade de vós. Antes, os membros do corpo que parecem ser os mais fracos são necessários; e os que reputamos serem menos honrosos no corpo, a esses honramos muito mais; e aos que em nós são menos decorosos damos muito mais honra. Porque os que em nós são mais nobres não têm necessidade disso, mas Deus assim formou o corpo, dando muito mais honra ao que tinha falta dela; para que não haja divisão no corpo, mas antes tenham os membros igual cuidado uns dos outros. De maneira que, se um membro padece, todos os membros padecem com ele; e, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele. Ora, vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular.”
    {1 Coríntios 12:14-27}

    Baiano, nascido em 1995 e fácil de ser caricaturado por ser barbudo e parecer um nerd. Não tem conta no FB e ainda não aprendeu a gostar do Whats. Além de gostar de psicologia e de coisas fora do comum, tem como hobbies escrever, fazer arte e mexer com códigos de programação. Depois de ser achado por Cristo, descobriu o sentido da palavra felicidade. Se encontrá-lo por aí, no mínimo, ouvirá que Deus é bom, muito bom! =]

    • Blogger
    • Disqus

    Seja o primeiro a comentar!

    Deixe teu comentário!

    Conte-nos algo sobre o texto! Será um prazer ouvir você! =]

    Topo