• Eterno Inconformado
  • Eterno Inconformado
  • 25 de mai de 2015

    #127 X. Justificados, Júbilo, Jesus! [Texto J]

    Dead come alive Legendado - Uma animação HD vídeo
    Maus. Todos maus. (E Deus sempre bom). Parecia um pouco óbvio neste texto falarmos de Jesus. O Rei Jesus! Sentado em uma cadeira, encostado à sombra do Sol em uma tarde meio chuvosa, o moço de óculos lia a beleza do amor de Seu Pai expresso não mais apenas em páginas textuais de uma obra literária, como ainda mais, tal amor gerava um sorriso apaixonante em sua face. Foi o amor de Deus. O bom Deus. O Deus que se fez carne e morrendo em uma cruz naquele Monte da Caveira trouxe vida em abundância a pecadores miseráveis, antes réus de condenação, contudo agora totalmente expiados e justificados no abundante amor desse mesmo Deus bom que hoje, ressurreto, reina nas alturas, num alto e sublime trono. Épico, surreal, magnífico, exaltado!

    Textos de A a Z


    ... alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus.”
    {Lucas 10:20b}

    // TRECHOS DO LIVRO “CRISTIANISMO - ÓPIO DO POVO?”

    “Nós sabemos que somos pecadores e, como tais, inaceitáveis a Deus. E então, com intenção muito honesta, nós fazemos o que nos parece óbvio fazer: nós começamos a melhorar a nós mesmos na esperança de eventualmente ganhar a aceitação de Deus (Atos 20:21). Na verdade, estamos sendo seriamente irrealistas em dois aspectos. Primeiramente, os pecados que já cometemos são, por si sós, suficientes para merecermos morte e rejeição de Deus. Nenhuma quantidade de melhora no futuro pode apagar a culpa do passado, ou compensá-la, ou abonar sua merecida pena. Em segundo lugar, mesmo que nós começássemos a melhorar prontamente, a própria experiência, sem falar na Palavra de Deus, nos adverte que no fim da vida não teremos melhorado o suficiente para ser aceitos por Deus com base na nossa conquista, o veredito de Deus sobre nós, então, ainda vai ter de ser o que é agora: nós todos pecamos no passado e, no presente, ainda ficamos aquém do padrão de Deus (Romanos 3:23). E, sendo assim, Deus em todo seu amor, não vai fingir que não é assim; não vai ficar satisfeito com nossos esforços inadequados. Como a versão de Ronaldo Knox tão claramente coloca: “A observância da lei não pode conquistar a aceitação para nenhuma criatura humana” (Gálatas 2:16).

    Sola Fide


    Isso é bem sombrio; mas é melhor encararmos a realidade. A satisfação dificilmente pode vir de fechar os olhos para o problema. Nossa situação legal frente à justiça de Deus é séria ao extremo. É por isso que, a fim de efetuar uma reconciliação satisfatória, a justiça de Deus teve de tomar a medida extrema de entregar seu próprio Filho para sofrer as sanções da sua lei por nossa causa. Não havia outra forma. Se a aceitação de Deus fosse alcançável com base na nossa melhora, Cristo nunca teria morrido, nunca teria precisado morrer. Mas ela não foi obtida dessa forma, e Jesus Cristo teve de morrer (Gálatas 2:20-21; 3:21-22; Romanos 4:25; 8:32).

    Mas da sua morte vem a maior e mais gloriosa notícia que o homem já ouviu. O que nós nunca poderíamos ter feito, a morte de Cristo conquistou por nós. Ele satisfez a justiça de Deus, ele pagou a pena do pecado (2 Coríntios 5:20-21; Gálatas 3:13-14).

    Deus pode agora aceitar, e aceitar com perfeita e inabalada justiça, todos os que colocam sua fé em Cristo e vão a Deus unicamente em razão desse sacrifício. A aceitação divina de cada pessoa tal é sem reservas. Na verdade, Deus quase exagera em mostrar quão completa e permanentemente aceita tal pessoa é. Ele chama a atenção para o fato de que a morte do nosso Senhor foi seguida pela sua ressurreição, ascensão e entrada na presença imediata de Deus. Ele, então, aponta que Jesus foi logo à presença de Deus não só em seu favor, mas como o representante declarado e precursor daqueles que confiam nele. E Deus finalmente declara que todos que Jesus dessa forma representa podem agora considerar-se aceitos por Deus dessa forma, completa e eterna, é estar em paz com Deus. E estar em paz com Deus é o único alicerce seguro para a verdadeira e duradoura satisfação.”

    (Cristianismo: Ópio do Povo? - David Gooding, John Lennox - Páginas 123-125)

    // ASSISTA ESTE VÍDEO:


    Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.”
    {João 1:12-13}

    Sola Gratia

    Para concluir a mensagem de justificação através do sacrifício perfeito do Senhor Jesus, te sugiro ainda dar uma olhada nesses outros vídeos curtos sobre o tema:


    Que o amor do Pai te encontre e transforme tua vida, e que você tenha uma vida em abundância como sequer imaginou, segundo a vontade soberana do nosso Senhor. Só a Deus a glória porque Ele é bom e seu imenso amor dura para todo o sempre.

    Escrito por:Vítor Macedo

    Baiano, nascido em 1995 e fácil de ser caricaturado por ser barbudo e parecer um nerd. Não tem conta no FB e ainda não aprendeu a gostar do Whats. Além de gostar de psicologia e de coisas fora do comum, tem como hobbies escrever, fazer arte e mexer com códigos de programação. Depois de ser achado por Cristo, descobriu o sentido da palavra felicidade. Se encontrá-lo por aí, no mínimo, ouvirá que Deus é bom, muito bom! =]

    • Blogger
    • Disqus

    Seja o primeiro a comentar!

    Deixe teu comentário!

    Conte-nos algo sobre o texto! Será um prazer ouvir você! =]

    Topo